Grupo 8_G

Igor Chaves - 17

Gabriel Luiz - 14

Tiago Herrero - 43

Gustavo Nery - 16

Diego Montandon - 10

Eduardo Viana - 12

Parte 2.1
Artes Visuais- Surrealismo
O surrealismo foi um movimento sociocultural que teve início na década de 20, e é mais conhecido por suas obras de arte visuais. O objetivo era " resolver as condições previamente contraditórias de sonho e realidade. " Os artistas pintavam cenas ilógicas e subjetivas do subconsciente do indivíduo.
As características do surrealismo são; elemento surpresa , justaposições inesperadas e non sequitur ; no entanto, muitos artistas e escritores surrealistas consideram seus trabalhos como uma expressão filosófica em primeiro lugar. Líder do movimento, André Breton, foi explícito em sua afirmação de que o surrealismo foi, acima de tudo, um movimento revolucionário.
O surrealismo nasceu a partir das atividades dadaístas durante a Primeira Guerra Mundial. A partir da década de 1920 em diante , o movimento se espalhou internacionalmente , afetando consequentemente as artes visuais, literatura, cinema e música de diversos países.
A Persistência da Memória é um dos principais quadros do movimento surrealista.

Ele mostra o tempo e a memória, através dos relógios, moles e dependurados.

Querendo dizer que o tempo é maleável,. não é rígido e sim mutável, o tempo é relativo, passado e presente se fundem.
A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA-

Interpretación-dali
Interpretación-dali



A Persistencia da Memória é um dos principais quadros do movimento surrealista. Ele mostra o tempo e a memória, através dos relógios, moles e dependurados. Querendo dizer que o tempo é maleável, não é rígido e sim mutável, o tempo é relativo, passado e presente se fundem.
Percebe-se que o pintor ilumina os penhascos e o mar com uma luz transparente e melandólica.As únicas criaturas vivas no quadro são as formigas na parte de trás do relógio laranja e uma mosca no relógio derretido à esquerda. Dalí odiava formigas e as inclui neste quadro como um símbolo de putrefação.




NATUREZA MORTA-VIVA-

Sunday Dalí: Nature Morte Vivante (Living Still Life), oil on canvas, 1956, on loan to the Salvador Dalí Museum, St. Petersburg, Florida.This is one of Dalí’s masterworks.  Dalí was obsessed with nuclear physics and DNA, which were still a mostly undiscovered realm of science at the time.  The double-helix shape is found in the pole on the left with the sphere on top representing the Earth.  The sphere is reflected by the cauliflower on the right.  The waves of the sea are not flowing, as in nature, but neatly aligned like a genome.  The hand is holding a rhinoceros horn - another of Dalí’s fascinations and it’s shape is also found in the cloud over the ocean.The central knife divides the painting into four sections.  The top left shows liquids in motion, yet the pear and the figs are motionless.  (Dalí’s detail on the water bottle is stunning.)  The top right shows the fruit in “nuclear motion.”  The cauliflower in the lower right quadrant is also a representation of a naturally occurring spiral. Finally, the colored “sticks” in the lower left quadrant are, according to Dalí, the bits of matter that were left over from when he painted this work.I have made some changes to the site.  Finally, I figured out how to display larger images.  I hope everything still works the way you want it.  The Tags are no longer shown, however relevant when searching the site.  I will be making some more minor changes in the near future.  Let me know if anything is totally broken.  Thanks. -ed.
Sunday Dalí: Nature Morte Vivante (Living Still Life), oil on canvas, 1956, on loan to the Salvador Dalí Museum, St. Petersburg, Florida.This is one of Dalí’s masterworks. Dalí was obsessed with nuclear physics and DNA, which were still a mostly undiscovered realm of science at the time. The double-helix shape is found in the pole on the left with the sphere on top representing the Earth. The sphere is reflected by the cauliflower on the right. The waves of the sea are not flowing, as in nature, but neatly aligned like a genome. The hand is holding a rhinoceros horn - another of Dalí’s fascinations and it’s shape is also found in the cloud over the ocean.The central knife divides the painting into four sections. The top left shows liquids in motion, yet the pear and the figs are motionless. (Dalí’s detail on the water bottle is stunning.) The top right shows the fruit in “nuclear motion.” The cauliflower in the lower right quadrant is also a representation of a naturally occurring spiral. Finally, the colored “sticks” in the lower left quadrant are, according to Dalí, the bits of matter that were left over from when he painted this work.I have made some changes to the site. Finally, I figured out how to display larger images. I hope everything still works the way you want it. The Tags are no longer shown, however relevant when searching the site. I will be making some more minor changes in the near future. Let me know if anything is totally broken. Thanks. -ed.
NATUREZA MORTA-VIVA

A obra “Natureza Morta-Viva” foi feita como uma sátira aos quadros clássicos de Natureza Morta. Foi pintado por Salvador Dalí em 1956.

O GRANDE MASTURBADOR-

File:DaliGreatMasturbator.jpg
File:DaliGreatMasturbator.jpg


A pintura representa as atitudes conflituosas de dalí em relação ao sexo. Na juventude de Dalí, seu pai havia deixado na mesa da sala um livro com fotos explícitas de pessoas que sofriam de doenças venéreas não tratadas avançadas para "educar" o menino. As fotos das genitálias doentes horrorizaram o jovem Dalí, e ele passou a associar sexo com putrefação e decadência em sua fase adulta.





Parte 2.3-
Música- Impressionismo

O Movimento Impressionista na música foi um movimento na música erudita principalmente na França, que se iniciou no final do século XIX e continuou até o meio do Século XX. Claude Debussy foi o criador desse movimento e também foi considerado pai da música moderna. Debussy criou um sistemas de acordes isolados livres da rigidez da harmonia tradicional. Os acordes, para os contemporaneos, eram como pinceladas espontaneas dos pintores impressionistas. Ele foi um dos primeiros compositores a se interessar pela rica música oriental. Logo adotou algumas de suas soluções, como as escalas de tons inteiros e as escalas pentatônicas. Maurice Ravel foi outro grande nome do impressionismo. A principio ele seguiu as idéias de Debussy. Exímio orquestrador e grande criador de melodias, Ravel er um compositor que sempre buscava a perfeição. Depois de compor inúmeras obras impressionistas como La Valse e Dalphins et Chloé, no final de sua vida voltou a estética clássica.


http://www.youtube.com/watch?v=FcYd3bC3usc

Obra: Prélude à l'après.-midi d'un Faune (Prelúdio ao entardecer de um Fauno)

Autor: Claude Debussy

Contexto da obra: A música é baseada no poema "L'Après-midi d'un faune" de Stéphane Mallarmé, escrito em 1865 e publicado em 1876, com ilustrações do pintor impressionista francês, Édouard Manet. O poema conta a história, em um clima sensual, de um fauno que toca sua flauta nos bosques e fica excitado com a passagem de ninfas e náiades, tentando alcançá-las em vão. Então, muito cansado e fraco, cai em um sono profundo e passa a sonhar com visões que o levam a atingir os objetivos que dentro da realidade não tinha alcançado. A música de Debussy e a poesia de Mallarmé inspiraram um balé, criado por Vaslav Nijinski em 1912, revolucionário para a época por sua sensualidade. Debussy procurou considerar "a impressão geral do poema" ilustrada por instrumentos que realçam e colorem as emoções e as impressões das passagens invocadas.

Instrumentação: A orquestra é formada por: três flautas, dois oboés, um corne-inglês, dois clarinetes, dois fagotes, duas harpas, e instrumentos de cordas (violinos, violas e violoncelos).

http://www.youtube.com/watch?v=n_XFT6KQHsE

Obra:Estampes

Autor: Claude Debussy

Contexto da obra: Estampes, composto em 1903 é agrupada numa segunda fase das composições de Debussy. Essa segunda fase compreende peças como D'un cahier d'esquisses, Lindaraja, Masques etc. A segunda fase seria estabelecida no momento em Debussy se entrega à "observação arguta e sensitiva dos fenôminos e das estórias, terras e lendas". A obra teve a participação de Ricardo Viñes, famoso pianista da época.

Estampes é integrado por três peças: "Pagodes", "La Soirée dans Grenade" e "Jardins sous la pluie".


I. "Pagodes": Debussy fora muito influenciado pela Exposição Universal de 1889, em Paris. Nela, o compositor tomou nota de uma orquestra javanesa, composta por inúmeros timbres de cunho orientalístico. Tomando este ponto de partida, Debussy escreveria "Pagodes" baseando-se nas imagens dos templos do Extremo Oriente. Nesta peça, Debussy faz uso da escala pentatônica, fato que introduz incrível efeito de melodias orientais.

II. "Soirée dans Grenade": muitos já ouviram falar do famoso compositor espanhol Manuel de Falla. Ao ser questionado qual obra melhor evocava ares espanhóis, de Falla não hesitou, sua resposta: " 'Soirée dans Grenade' ". Debussy não utilizou temas folclóricos espanhóis, mas todo milésimo de segundo da peça evocam a Espanha. Também na Exposição Universal, Debussy teve contato com cantos e danças espanholas. Talvez desta visão pode Debussy criar essa imagem espanhola tão digna.

III. "Jardins sous la Pluie": Debussy baseou essa peça nos jardins de Mademoselle de la Rouvrage. O compositor faz extenso uso de canções populares francesas nos temas, tais como Dodo, l'enfant dormira bientôt e Nous n'irons plus au bois, les lauriers sont coupés. As notas do tema, realmente lançadas, passam a idéia de gotas caindo.





http://www.youtube.com/watch?v=GKkeDqJBlK8



Obra: Pavane pour une Infante Defunte



Autor: Maurice Ravel



Contexto da obra: O primeiro êxito de Ravel foi uma peça pianística, Pavana para uma princesa morta “Pavane Pour Une Infante Défunte” (1899), foi julgada pelo próprio autor, mas persiste, em seu ritmo elegíaco, como uma de suas produções mais memoráveis. Ravel foi inspirado na pintura do espanhol Diego Velásquez. Trata-se de “A Família de Felipe IV”, obra pintada em 1656. Esta pintura é mais conhecida como “As Meninas”, por ter um grupo de meninas em primeiro plano, no centro da tela. Portanto, trata-se de uma música pictórica, que acaba produzindo efeitos sinestésicos, através de cruzamentos de sensações entre os sentidos da visão e da audição, ao refletir imagens visuais através dos sons.



Instrumentação: Assim como as Epígrafes de Debussy, a peça de Ravel foi transcrita para diversas formações, como piano solo, quarteto de violões, grupos de câmara variados e orquestra sinfônica. A versão apresentada dava certo caráter de intimidade à música, que pode ser vislumbrada em meio à agitação da cena pintada por Velásquez.





Parte 3-
A Semana de Arte Moderna ocorreu no Teatro Municipal da cidade de São Paulo, entre os dias 11 e 18 de Fevereiro no ano de 1922. As obras que haviam sido expostas no local tinham como objetivo mostrar as novas tendências européias. O responsável pelo evento foi o pintor Di Cavalcanti.
Em um período cheio de conflitos políticos, sociais, econômicos e culturais, os intelectuais brasileiros se viram em um momento em que precisavam abandonar os valores estéticos clássicos, ainda muito apreciados no Brasil, para dar lugar a um estilo novo e diferente, buscando identidade própria e liberdade de expressão, que resultou numa renovação da visão social.


Ode ao burguês

Eu insulto o burguês! O burguês-níquel,

o burguês-burguês!

A digestão bem-feita de São Paulo!

O homem-curva! o homem-nádegas!

O homem que sendo francês, brasileiro, italiano,

é sempre um cauteloso pouco-a-pouco!
Eu insulto as aristocracias cautelosas!


Os barões lampiões! os condes Joões! os duques zurros!

que vivem dentro de muros sem pulos;

e gemem sangues de alguns mil-réis fracos

para dizerem que as filhas da senhora falam o francês

e tocam os "Printemps" com as unhas!
Eu insulto o burguês-funesto!


O indigesto feijão com toucinho, dono das tradições!

Fora os que algarismam os amanhãs!

Olha a vida dos nossos setembros!

Fará Sol? Choverá? Arlequinal!

Mas à chuva dos rosais

o èxtase fará sempre Sol!
Morte à gordura!


Morte às adiposidades cerebrais!

Morte ao burguês-mensal!

ao burguês-cinema! ao burguês-tílburi!

Padaria Suissa! Morte viva ao Adriano!

"–Ai, filha, que te darei pelos teus anos?

–Um colar... –Conto e quinhentos!!!

Mas nós morremos de fome!"
Come! Come-te a ti mesmo, oh gelatina pasma!


Oh! purée de batatas morais!

Oh! cabelos nas ventas! oh! carecas!

Ódio aos temperamentos regulares!

Ódio aos relógios musculares! Morte à infâmia!

Ódio à soma! Ódio aos secos e molhados!

Ódio aos sem desfalecimentos nem arrependimentos,

sempiternamente as mesmices convencionais!

De mãos nas costas! Marco eu o compasso! Eia!

Dois a dois! Primeira posição! Marcha!

Todos para a Central do meu rancor inebriante

Ódio e insulto! Ódio e raiva! Ódio e mais ódio!

Morte ao burguês de giolhos,

cheirando religião e que não crê em Deus!

Ódio vermelho! Ódio fecundo! Ódio cíclico!

Ódio fundamento, sem perdão!
Fora! Fu! Fora o bom burgês!...

O poema “Ode ao burguês” é um dos mais importants para o surgimento da estética modernista, pois foi um dos poemas vaiados durante a Semana de Arte Moderna. Ao lermos o título temos a impressão de que o poeta faz elogios à classe burguesa, tal como se fazia antigamente nas odes gregas porém quando lido, revela sua intenção crítica e hôstil, pois o que se entende, ao pronunciá-lo é “Ódio ao Burguês”. Assim, o autor faz em sua poesia uma crítica ao burgueses. Mario de Andrade caracteriza o burguês como uma pessoa funesta, interesseira, ladra, que vive de aparência, burguês falso, que cheira a religião, mas não crê em Deus. Um homem que idolatra o dinheiro e visa a sua posição social acima de qualquer coisa.O poema foi escritoem estrofes heterogêneas. Podemos ressaltar a presença de rimas dentro um mesmo verso ou em versos seguidos.

No meio de tantas mudanças sociais e culturais, surge um novo movimento literário; o modernismo. Esse movimento se opunha as métricas rígidas e ao passado literário academic, que contava sempre com uma linguagem culta e tradicional. Com a Semana de Arte Moderna as obras literárias passaram por uma transformação. Os sentimentos e as ideias começaram a ser expressos de uma forma mais colloquial, com versos livres e pontuação subjetiva.
[julio-burgues-menina-p[1].jpg]
[julio-burgues-menina-p[1].jpg]