Grupo 6_I

Membros:

Guilherme Maia (18)
Nestor Prado (36)
Tiago Caiado (41)

Historia - 1a. Parte

Semana de Arte Moderna e Vanguardas
Arte-moderna-8.jpg

No Brasil, no século XX, um forte movimento cultural tomou conta da cidade de São Paulo: a Semana de Arte Moderna. Tal evento reuniu artistas que desejavam promover uma ruptura com o passado e que se basearam nas vanguardas européias, como o cubismo e o expressionismo, para criar a própria arte. A semana foi uma espécie de tomada de consciência da realidade brasileira e do seu movimento artístico, político e cultural.

A Semana realizada entre os dias 11 e 18 e fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo, teve como principal objetivo a renovação da arte, literatura, arquitetura, teatro e música brasileira. Dessa forma, reuniu grandes artistas da época como Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Mário de Andrade, Victor Brecheret, Heitor Villa-lobos e Di Cavalcanti, dentre outros. No local foram apresentadas instalações de arquitetura, esculturas e exposições de telas. O evento contou também com uma programação de palestras, recitais, conferências e shows musicais. Tarsila do Amaral não participou do evento porque estava em Paris.

05.jpg

Foi uma oportunidade para discutir a identidade nacional, compreender a cultura brasileira e os rumos das artes, artistas e intelectuais. Na época, existiam dois grandes núcleos artísticos no país. Um no Rio de Janeiro, com artistas como Heitor Villa-Lobos, Manuel Bandeira, Ronald de Carvalho e Graça Aranha. Outro em São Paulo, com Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Antônio de Alcântara Machado, Victor Brecheret, Di Cavalcanti, dentre outros. Formava-se aí o grupo de intelectuais que se viria a se tornar o precursor do movimento modernista no país.











REALIDADE BRASILEIRA


Palacio_dos_correios_20_outubro_1922.jpg

O Brasil vivia forte influência européia e São Paulo era a segunda cidade do país em tamanho e a primeira em progresso. Seu destaque se dava principalmente por conta do seu forte poder industrial e da cultura de café. A cidade porém não se manteve indiferente às mudanças que aconteciam nos grandes centros capitalistas, particularmente europeus. Uma série de tendências artísticas revelavam o espírito moderno da época, rompendo com a estrutura de movimentos como o Renascimento.




2a Parte -


Artes Visuais


SURREALISMO

O Surrealismo surge como uma das últimas vanguardas européias, sucedendo o Dadaísmo. Uma espécie de crítica à racionalidade burguesa, o movimento surgiu na França em 1924, entre as duas grandes guerras mundiais, burguesa em favor do maravilhoso, do fantástico e dos sonhos.
Um proposta de anti-convencionalismo e anti-tradição dos valores da cultura ocidental, o Surrealismo traz os impulsos da mente inexplorada, utilizando temas do inconsciente e subconsciente : o acaso, a loucura, os sonhos, as alucinações, o delírio ou o humor.



A Persistência da Memória/Dalí
As técnicas utilizadas pelos artistas surrealistas permitiam que
eles criassem estruturas abstratas. À primeira vista não representavam nada,mas logo induziam a ver alguma coisa.
Dali_La_persistencia_de_la_memoria.jpg



O Sono/DalíA obra do Artista Plástico Salvador Dalí, intitulada 'O Sono',traz a leitura das sensações reprimidas que seriam evocadasnos sonhos ou nos fenômenos alucinatório
1339168584salvadordali4.jpg



Criança Observando o Nascimento do Novo Homem/Dalí
Obra de Dalí faz uma ironia às as previsões feitas durante a II guerra mundial sobre o novo mundo.Na tela o novo homem sai do ovo como se fosse uma galinha, representando a visão do nascimentopara um novo tempo, onde todo o resto derrete.
dali-salvador-dali-881560_1066_9432.jpg




Artes Cênicas



EXPRESSIONISMO
Frankenweenie é um curta metragem dirigido por Tim Burton.Uma paródia, em homenagem ao filme Frankenstein (1931),baseado no livro de Mary Shelley.



foto 2-1.JPGfoto 1-2.JPG




Música


IMPRESSIONISMO

O Movimento Impressionista se iniciou no meio do Século XIX e continuou até o meio do Século XX. A música impressionista
surgiu como uma reação aos excessos da Era Romântica - período caracterizado como uma era do uso dramático.
O Impressionismo musical se voltou mais para a sugestão e a atmosfera do que a emoção ou ilustração histórica. A música impressionista tende a fazer mais uso de dissonância com escalas não tão comuns.


Maurice Ravel
ravel1912.jpg
Influenciado significativamente por Claude Debussy, mas também por compositores anteriores,como Mozart, Liszt e Strauss. Seu estilo próprio foi marcado pelo Impressionismo. Sua obra "Bolero de Ravel" é uma obra de um único movimento escrita para orquestra.Originalmente composta para um Balé.




BOLERO DE RAVEL -


https://www.youtube.com/watch?v=AmEJLoawItU




debussy.jpg
Claude Debussy - Influenciado pela obra do compositor alemão Richard Wagner e do russo Piotr Tchaikovsky, D
ebussy teve seu nome ligado à música impressionista durante a carreira. Sua obra "Prelúdio ao entardecer de um Fauno" se baseia no poema de mesmo nome L'Aprés-midi d'un faune de Stéphane Mallarmé, escrito em 1865. O poema conta a história, em umclima sensual, de um fauno que toca sua flauta nos bosques e fica excitado com a passagem de ninfas, tentando alcançá-las em vão. Cansado e fraco, ele cai em sono profundo e passa a sonhar com visões.

"Prelúdio ao entardecer de um Fauno"



https://www.youtube.com/watch?v=Rpw4-J49auQ




villalobos.jpg
Heitor Villa Lobos - o autor brasileiro vive em Paris de 1923 a 1925 e é também fortemente influenciado pelo impressionismo. A música nacionalista desenvolvida no Brasil por Heitor Villa-Lobos, retira muito de sua base do impressionismo. Na Semana de Arte Moderna apresentou, entre as suas obras, "A Fiandeira".










A Fiandeira


https://www.youtube.com/watch?v=w6xXbnEN6uE








3a Parte - LÍNGUA PORTUGUESA




A SEMANA QUE MUDOU A ARTE

A Semana de Arte Moderna foi um divisor de águas para a cultura e o modo de pensar e agir da sociedade brasileira. Realizada no ano de 1922, o evento sofria forte influencia da efervescência vivida por todo mundo no que concerne ao movimento artístico criativo.

No Brasil, a Semana surgiu como uma rica oportunidade para discutir a identidade nacional, compreender a cultura brasileira e os rumos das artes, artísticas e intelectuais. As agitações da primeira década do século XX se tornaram evidentes nos anos 1920 quando a "República do café com leite" entrou em declínio.

Durante aquela semana, artistas como Heitor Villa-Lobos, Manuel Bandeira, Ronald de Carvalho e Graça Aranha, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Antônio de Alcântara Machado, Victor Brecheret e Di Cavalcanti, dentre outros, davam início a um movimento que se tornaria o precursor do modernismo no país. Cada dia da semana foi dedicado a um tema: respectivamente, pintura e escultura, poesia, literatura e música.

A Semana de Arte Moderna representou portanto uma verdadeira renovação de linguagem, na busca pela experimentação, na liberdade. Num cenário de inquietações, a arte moderna nasceu de várias tendências, e se espalhou pelo mundo inteiro com o Futurismo, o Expressionismo e o Cubismo.



FUGA PARA O PARAÍSO
O poema de Manoel Bandeira reflete o desejo de fuga do autor, que busca por meio de suas palavras uma realidade diferente da que vive. Ele demonstra Pasárgada como uma espécie de alegoria do paraíso por ele imaginado. Quando menciona em seus versos "Aqui não sou Feliz Lá a Existência é uma Aventura De tal Modo Inconseqüente O autor transita entre os dois mundos - o real e o imaginário.

Tísico, com a saúde debilitada, Pasárgada surge para o poeta como o universo livre, onde não há a doença. Suas palavras transmitem a sua vontade de libertação, onde tudo é permitido, não há tristeza ou desalento. Tudo se resolve em Pasárgada, até mesmo o cansaço que se entrelaça com o lúdico e lírico das histórias da infância: "E quando estiver cansado Deito na beira do rio Mando chamar a mãe-d’água Pra me contar as histórias".

No poema, o autor utiliza-se do recurso da intertextualidade, utilizada em forma de paródia. O sarcasmo presente em alguns versos revela uma crítica ao sistema vigente. O que pode ser percebido naa parte em que diz "Que Joana a Louca de Espanha Rainha e falsa e demente Vem a ser contraparente// Da nora que nunca tive".

VÍDEO - LEITURA POEMA

VOU-ME EMOBRA PARA PASÁRGADA



https://www.youtube.com/watch?v=qA4DbAxTCV0&feature=youtu.be