Grupo 4_E
Gustavo Luz, José Rubens, Lucas José, Luiz Filipe Evelin, Luiz Felipe Vendramini e Matheus Ávila.

Parte1-História
Feito por:Gustavo Luz
a)
Link para o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=tBRQUVn3b4U
b)
Para entender a década de 1920, é necessário que se entenda as vanguardas europeias. Essas vanguardas surgiram nas duas primeiras décadas do século XX, com a proposta de rejeição e ruptura com o antigo. Elas surgem no contexto da primeira guerra mundial e da revolução industrial. As vanguardas que tiveram mais influências no brasil foram o: Expressionismo, Cubismo, Futurismo, Dadaísmo e Surrealismo.
No Brasil, estava em vigência a república velha, em que Epitácio Pessoa era o presidente da república. A elite brasileira estava habituada com a tradição e o classicismo europeu. Nessa época, havia as oligarquias cafeeiras.
É nesse contexto que, em 1922, surge a semana de arte moderna com o objetivo de rediscutir a identidade e as origens da realidade brasileira. Porque ao entender as origens do Brasil, entende-se o que o Brasil é e porque ele é assim.Com o objetivo de chocar a multidão, há apresentação de quadros, obras literárias e recitais inspirados nas vanguardas europeias misturados a temas brasileiros. Isso gera uma polêmica, já que as elites da época eram conservadoras.
Nessa época, em 1922 também, acontece o tenentismo. Um movimento militar que vai contra os vícios da república oligárquica (coronelismo, fraude eleitoral, voto de cabresto, política do café com leite, etc...). Um movimento do tenentismo foi a revolta do forte de Copacabana, em que militares marcharam pelas ruas em direção à sede do governo federal da época, para demonstrar o descontentamento dos tenentes em relação ao monopólio político das oligarquias e fraudes eleitorais.
Com a semana de arte moderna, surgem os movimentos modernistas: pau-brasil, verde amarelismo e anta e antropofagia. O pau-brasil defendia o primitivismo, baseado no passado histórico e cultural do Brasil. O verde amarelismo e anta defendiam o nacionalismo exacerbado, com uma tendência ao nazifascismo. Já o movimento da antropofagia, era baseado nos rituais dos índios brasileiros. Segundo o manifesto antropofágico, é a antropofagia que nos une social, econômico e filosoficamente. A antropofagia é diferente do canibalismo, porque busca as forças do inimigo, quer o que não o pertence. A proposta era de digerir as ideias vanguardistas europeias criticamente, absorvendo o que é bom e usando isso para a criação de um novo movimento com a cara do Brasil
Para entender a década de 1920, é necessário que se entenda as vanguardas europeias. Essas vanguardas surgiram nas duas primeiras décadas do século XX, com a proposta de rejeição e ruptura com o antigo. Elas surgem no contexto da primeira guerra mundial e da revolução industrial. As vanguardas que tiveram mais influências no brasil foram o: Expressionismo, Cubismo, Futurismo, Dadaísmo e Surrealismo.
No Brasil, estava em vigência a república velha, em que Epitácio Pessoa era o presidente da república. A elite brasileira estava habituada com a tradição e o classicismo europeu. Nessa época, havia as oligarquias cafeeiras.
É nesse contexto que, em 1922, surge a semana de arte moderna com o objetivo de rediscutir a identidade e as origens da realidade brasileira. Porque ao entender as origens do Brasil, entende-se o que o Brasil é e porque ele é assim.Com o objetivo de chocar a multidão, há apresentação de quadros, obras literárias e recitais inspirados nas vanguardas europeias misturados a temas brasileiros. Isso gera uma polêmica, já que as elites da época eram conservadoras.
Nessa época, em 1922 também, acontece o tenentismo. Um movimento militar que vai contra os vícios da república oligárquica (coronelismo, fraude eleitoral, voto de cabresto, política do café com leite, etc...). Um movimento do tenentismo foi a revolta do forte de Copacabana, em que militares marcharam pelas ruas em direção à sede do governo federal da época, para demonstrar o descontentamento dos tenentes em relação ao monopólio político das oligarquias e fraudes eleitorais.
Com a semana de arte moderna, surgem os movimentos modernistas: pau-brasil, verde amarelismo e anta e antropofagia. O pau-brasil defendia o primitivismo, baseado no passado histórico e cultural do Brasil. O verde amarelismo e anta defendiam o nacionalismo exacerbado, com uma tendência ao nazifascismo. Já o movimento da antropofagia, era baseado nos rituais dos índios brasileiros. Segundo o manifesto antropofágico, é a antropofagia que nos une social, econômico e filosoficamente. A antropofagia é diferente do canibalismo, porque busca as forças do inimigo, quer o que não o pertence. A proposta era de digerir as ideias vanguardistas europeias criticamente, absorvendo o que é bom e usando isso para a criação de um novo movimento com a cara do Brasil.


Parte 2-Artes
A1-Artes Visuais
Feito por:Matheus Ávila

O cubismo é um movimento artístico vanguardista que surgiu no século XX e teve como seu principal artista Pablo Picasso. Essa vanguarda era caracterizada pelo uso de formas geométricas (principalmente cilindros e cubos), o que era um marco na época, pois rompia com os padrões estéticos que tendiam a perfeição da forma em busca de uma imagem mais realista.

Foi Dividido em 3 partes:

-Cubismo Cèzanniano ou Pré-analítico – Fase de introdução ao cubismo através das obras de Paul Cézanne;

-Cubismo Analítico – Segunda fase, foi caracterizada pelos trabalhos de Pablo Picasso e Georges Braque;

-Cubismo Sintético – Fase final que tinha como principal característica de cores marcantes, a tentativa de tornar as figuras novamente reconhecíveis e a divisão da figura em planos;



1 imagem.jpg



Na obra acima, chamada “natureza morta com maçãs e laranjas”, podemos ver a fase do cubismo cèzanniano, o qual começava a introduzir a ideia de formas geométricas nos quadros de natureza morta.





segunda imagem.jpg





“Les Demoiselles d’avignon” é considerada como a obra que marcou o inicio do cubismo, retratando 5 prostitutas desenhadas através de formas geométricas. Ainda há um toque de primitivismo nessa obra representado pelas máscaras africanas nas duas mulheres a direita.



ultima imagem.png



Na obra “guitarra diante do mar “de Juan Gris, podemos observar claramente a divisão de planos da imagem e a volta da importância das cores através do contraste de cores fortes e fracas.



B1-Artes Cênicas
Feito por:Gustavo Luz
Link para o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=Ac8vmrCatO8&feature=youtu.be
Inspirado em: https://www.youtube.com/watch?v=AOuZ2eMD9yc e https://www.youtube.com/watch?v=eG8ixJiO7fs

Assistir pedaços dos dois vídeos para melhor compreensão deste.


Sinopse e Explicação do vídeo:O vídeo começa inspirado espetáculo Vengono, em que os objetos tomam vida e andam pelo palco. Porém, ao colocar sapatos se movendo, já foca no espetáculo futurista dos "Pés", em que se filma somente as pernas dos atores. E é nesse espetáculo que o vídeo foca após essa introdução inspirada em Vengono. No final dessa segunda parte do vídeo, aparece uma transição entre o espetáculo pés e a última parte do vídeo. Nessa última parte, faz se uma metáfora da guerra, tema bastante comum no futurismo. As bolas são como as opiniões, que antes da guerra fluíam bem entre o mundo. Chega um momento em que duas opiniões entram em choque, e fazem com que a conexão entre as pessoas e países se quebre, não seja mais possível. Quando há algo que bloqueia essa harmonia, ocorre a guerra. As duas bolas grandes bloqueando a passagem entre os sapatos é uma metáfora do momento em que ocorre a guerra.

C1-Música
Feito por:Luiz Filipe Evelin


NEOCLASSICISMO
- CONCEITO O período neoclassicista na música foi um em resposta (ou contradição) ao romantismo tardio. O Neoclassicismo foi caracterizado resumidamente pela fuga as emoções intensas, pela clareza de linhas e texturas, e pela reelaboração de estilos, formas ou técnicas anteriores. Muitos dos compositores neoclassicistas se inspiraram diretamente em músicas do período clássico e, até mesmo de movimentos mais antigos, como as do período barroco.
- EXEMPLOS
Sinfonia dos Salmos de Ígor Stravinsky (1930) https://www.youtube.com/watch?v=BLx0AMPTZrg A Sinfonia dos Salmos foi resultado do pedido de Sergei Koussevitzky para celebrar o 50º aniversario da Orquestra Sinfônica de Boston. Para evitar qualquer ligação à tradição romântica, utilizou meios alheios ao gênero: coro infantil e masculino a quatro vozes e uma peculiar orquestra que incluía metal, madeira, dois pianos, percussão e uma secção de cordas reduzida, pois eliminou violinos e violas. Percebe-se clareza de linhas e texturas
O Amor das Três Laranjas de Prokofiev (1919) http://www.youtube.com/watch?v=o8TCEJy6P0g A ópera foi o resultado de uma comissão de sucesso durante a primeira visita de Prokofiev para os EUA em 1918. As críticas iniciais da produção foram em geral duras, constatando que a obra atordoava aqueles acostumados as velhas tradições da música. A peça derivada da ópera original foi composta baseada no conto de fadas homônimo, escrito por Giambattist Basile. Há muita utilização de trompetes, flautas e oboés, bem como uso de contraste agudo-grave e rápido-lento. Concert Champêtre de Francis Poulenc (1927-1928) http://www.youtube.com/watch?v=RksaKRVlgBw Foi escrito em 1927-28 para o cravista Wanda Landowska. A peça é composta de três movimentos: Allegro molto - Adagio - Allegro molto, Andante: Mouvement de Sicilenne e Finale: Presto tres gai. Através do uso do cravo, a peça faz alusão a música barroca, em termos de linguagem melódica e harmônica quando o cravo era um instrumento comum, tanto em termos de sua linguagem melódica e harmônica e em sua estrutura. Essa relação, juntamente com a influência da musica de Stravinsky tornam essa música neoclássica.







Parte 3- Língua Portuguesa
a)Feito por:José Rubens
SEMANA DE ARTE MODERNA
A Semana de Arte Moderna foi uma exposição que ocorreu no ano de mil novecentos e vinte e dois no teatro municipal da cidade de São Paulo. O evento ocorreu em 5 dias, cada dia tratando um tipo de arte. As artes envolvidas na SAM eram: pintura, escultura, poesia, literatura e música.

O evento marcou época ao apresentar novas ideias e conceitos artísticos, como a poesia através da declamação, que antes era só escrita; a música por meio de concertos, que antes só havia cantores sem acompanhamento de orquestras sinfônicas; e a arte plástica exibida em telas, esculturas e maquetes de arquitetura, com desenhos arrojados e modernos. Em um período repleto de agitações, os intelectuais brasileiros se viram em um momento em que precisavam abandonar os valores estéticos antigos, ainda muito apreciados em nosso país, para dar lugar a um novo estilo completamente contrário, e do qual, não se sabia ao certo o rumo a ser seguido. A Semana, realizada entre 11 e 18 de fevereiro de 1922, foi a explosão de idéias inovadoras que aboliam por completo a perfeição estética tão apreciada no século XIX. Os artistas brasileiros buscavam uma identidade própria e a liberdade de expressão; com este propósito, experimentavam diferentes caminhos sem definir nenhum padrão. Isto culminou com a incompreensão e com a completa insatisfação de todos que foram assistir a este novo movimento. Logo na abertura, Manuel Bandeira, ao recitar seu poema Os sapos, foi desaprovado pela platéia através de muitas vaias e gritos. Todo novo movimento artístico é uma ruptura com os padrões utilizados pelo anterior, isto vale para todas as formas de expressões, sejam elas através da pintura, literatura, escultura, poesia, etc. Ocorre que nem sempre o novo é bem aceito, isto foi bastante evidente no caso do Modernismo, que, a principio, chocou por fugir completamente da estética européia tradicional que influenciava os artistas brasileiros.

O principal legado da Semana de Arte Moderna foi libertar a arte brasileira da reprodução nada criativa de padrões europeus, e dar início à construção de uma cultura essencialmente nacional.

b)Feito por:Lucas José

Ode

ode ao burguês.png



c)
Feito por:Luiz Felipe Vendramini
Mário de Andrade, em Ode ao Burguês, ataca as elites criticando o burguês, que é rico, ignorante, preocupado com o dinheiro, com as aparências e sem fé cristã. O poema caracteriza uma fase do modernismo brasileiro marcada pelo empenho na destruição de um passado literário, político e cultural que mantinha a sociedade brasileira atada a modelos e comportamentos que vigoraram em fins do século XIX, e a poesia parnasiana.
São presentes no poema a busca do moderno, original e polêmico, assim como o nacionalismo crítico, consciente, de denúncia da realidade, identificado politicamente com as esquerdas, características vanguardistas.