Grupo 1_KAna Carolina Borges - 1Giovana Cafiero - 13Lais Fortes - 20Luisa Rosa - 23
Um dia antes do início da grande semana...Captura de Tela 2014-04-11 às 17.02.49.png
Captura de Tela 2014-04-11 às 17.03.13.png


A semana termina...

Captura de Tela 2014-04-18 às 14.19.22.png

Captura de Tela 2014-04-18 às 14.19.57.png

Captura de Tela 2014-04-18 às 14.20.11.png

Captura de Tela 2014-04-19 às 09.57.00.png
Captura de Tela 2014-04-19 às 09.57.19.png
- Giovana Cafieiro
Captura de Tela 2014-04-20 às 15.04.32.png

Captura de Tela 2014-04-20 às 15.04.49.png-Lais FortesFim do jornal



Futurismo nas artes cênicas:Introduz a tecnologia nos espetáculos e tenta interagir com o público. O manifesto de Marinetti sobre teatro, de 1915, defende representações de apenas dois ou três minutos, um pequeno texto, ou nenhum texto, vários objetos em cena e poucos atores.


















Eu sou trezentos, sou trezentos-e-cincoenta,
As sensações renascem de si mesmas sem repouso,
Ôh espelhos, ôh Pireneus! Ôh caiçaras!
Si um deus morrer, irei no Piauí buscar outro!

Abraço no meu leito as milhores palavras,
E os suspiros que dou são violinos alheios;
Eu piso a terra como quem descobre a furto
Nas esquinas, nos táxis, nas camarinhas seus próprios beijos!

Eu sou trezentos, sou trezentos-e-cincoenta,
Mas um dia afinal eu toparei comigo…
Tenhamos paciência, andorinhas curtas,
Só o esquecimento é que condensa,
E então minha alma servirá de abrigo.
- Mario de Andrade

O poema de Mário de Andrade traz em seus versos a impressão de circularidade. Ao terminar seus versos com a letra "o" ou "os" no final de palavras de diferentes classes gramaticais. Marcando essa característica não somente na estrutura fonética dos versos, o poeta também indica na temática do poema, em "Eu sou trezentos, sou trezentos e cinquenta" é possivel perceber a referencia aos 360 graus de um círculo perfeito, portanto incompleto, faltando os 10 graus complementares. Essa busca pelo circulo completo teria a ver com a busca do auto-conhecimento do eu poético ("Mas um dia afinal eu toparei comigo"). É claro também que esse conhecimento se dá através do próximo, pois todas as referências no poema desse conhecimento vem de fora (buscar por outro deus, as figuras nas esquinas, nos táxis, nas camarinhas...). Esse processo demanda paciência e experiências, "Tenhamos paciência, andorinhas curtas/Só o esquecimento é que condensa". O circulo se fecha a partir do momento em que o eu poético se abre para as novas experiencias, e deixa que seu corpo e sua mente livres. Assim sua própria alma servirá de abrigo.

-Ana Carolina Borges


Músicas neoclássicas


Le Sacre du Printemps
Compositor: Igor Stravinsky
Ano: 1913
Instrumentação:
  • Madeiras: piccolo, 3 Flautas, Flauta alto, 4 oboé s, Corne inglês, Requinta, 3 clarinetes sopranos, clarinete baixo, 4 fagotes, e um contra-fagote
  • Metais: 8 trompas em F, trompete piccolo, 4 trompetes, 3 trombones, 2 tubas
  • Percussão: Tímpano (2 tocadores, com um mínimo de 5 tambores, incluindo um Tímpano piccolo), bumbo, pratos, Tam-Tam, Crótalos, triângulo, pandeiro, Guiro.
  • Cordas: violino, violas (12), violoncelo s (10), contrabaixos (8).
O ballet acima é bem característico de Stravinsky, há sobreposição de duas tonalidades, de compassos diferentes e ritmos variados, além de referências à música folclórica russa e da Europa Oriental. Foi um marco importante e trouxe reflexões sobre o caminhar rítmico do século XX.


Bachianas Brasileiras No. 4
Compositor: Heitor Villa Lobos
Ano: 1930
Formação:
  • Prelúdio (Introdução) - Lento
  • Coral (Canto do Sertão) - Largo
  • Ária (Cantiga) - Moderato
  • Dança (Miudinho) - Muito animado
Instrumentação:
Primeiramente composta para piano
Em 1941 recebeu o arranjo para orquestra

As Bachianas Brasileiras de Villa Lobos é serie de nove suítes, elas representam uma fusão o Barroco de Bach e a música folclórica e popular brasileira. É uma das maiores composições neoclássica brasileira e dela é possível perceber a clareza das linhas melódicas e o afastamento emocional, que também é uma característica marcante do neoclássico.


Sinfonia Clássica em Ré Maior op. 25
Compositor: Serguei Prokofiev
Ano: 1916-1917
Formato: Allegro
Larghetto
Gavotta. Non troppo allegro
Finale. Molto vivace
Instrumentação: Orquestra completa

Prokofiev começou a trabalhar na Sinfonia Clássica em 1916, terminando poucas semanas antes da Revolução de Outubro, em 1917. Apelidada de Sinfonia Clássica a obra de Prokoviev baseia-se, principalmente, em Haydn, tendo também a influencia de Mozart e outros compositores clássicos porem, Prokoviev também adiciona sua própria linguagem a sua criação e reflexos modernos.


Historia


No final do século XIX e início do século XX, na Europa, as artes passavam por um momento de ruptura com o passado. Novas correntes surgiram, trazendo questionamentos, críticas e protestando contra a arte conservadora.
O início da Primeira Guerra Mundial, em 1914, trouxe para o Brasil novas maneiras de pensar e agir, criação de partidos politicos e doutrinas filosóficas, o nacionalismo emerge e, a partir daí, a arte e literatura brasileira mudam de rumo, iniciando o movimento modernista.
Os artistas participantes da Semana de Arte Moderna, em 1922, revelaram ao público que era possível fazer uma arte verdadeiramente nacional e ao mesmo tempo moderna, entrando em dia com as tendências europeias. Para o escritor Oswald de Andrade, a renovação da arte brasileira nasceria da retomada dos valores indígenas, mas a civilização européia não deveria ser rejeitada, e sim absorvida e superada, surgindo assim a Antropofagia no Brasil.
Artistas muito importantes representaram a nova evolução do Modernismo, agora aliada à renovação política iniciada com a Revolução de 1930. Revolução que contestava o velho governo e as antigas regras que predominaram até os anos 1920, contribuindo para reforçar o sentimento de crítica à omissão do Estado na solução dos problemas nacionais e de urgência de transformações na sociedade. Até 1930, vigorava no Brasil a República Velha, mas em 24 de Outubro, Getúlio Vargas toma o poder através de um golpe e instaura uma ditadura , fazendo várias alteraçōes tanto social quanto ecônomicas no Brasil.
Durante seu governo, Vargas duas constituições, a primeira trazendo o voto secreto, o ensino primário obrigatório, o voto feminino e diversas leis trabalhistas. A segunda tinha caráter centralizador e autoritário e que apoiava a ideia de um governo mais fortalecido, para espantar a ideia da imposição de um governo comunista no Brasil.

A era Vargas termina em 1945, quando Getúlio é deposto por outro golpe, graças a um documento mineiro que exigia a redemocratização do país. No dia 2 de dezembro, foram realizadas eleições livres para o parlamento e presidência.
Em termos culturais pode-se dizer que o período foi muito rico e diversificado. Neste período ocorreu a criação, embora incipiente, de uma indústria cultural. Pode-se afirmar que o modernismo na arte e na literatura influenciou outras áreas, trazendo críticas e propondo revoluções.
- Luisa Rosa